categorias: Beleza

Por que o cabelo novo da Juliana Paes fez tanto sucesso?

1741838-juliana-paes-esta-com-os-fios-mais-curto-950x0-3

Meninaaaaaaaaaaaaaaaa o que é que tá acontecendo com esse blog que só se fala de cabelo?!?! Dessa vez só coincidências da vida. Mentiraaaaaa que já tô aqui tomando coragem para fazer umas luzes(balayages, ombre or something else). Já sabe a chance do cabelo ficar podre, né?Então…Enquanto isso me mantenho olhando o cabelo dos outros só para me acalmar e ver que nem toda mudança dá ruim. Aliás, tem umas que são ótimas…

Já não é novidade para ninguém que anda rolando um movimento volta aos cachos/cabelos naturais: a famosa transição capilar. Que nada mais é que um processo que as meninas de cabelos cacheados e crespos passam quando decidem se livrar do alisamento. Não é fácil e exige paciência, porque uma vez alisado o cabelo não volta ao natural, tem que cortar(existe mil técnicas para isso, mas não vou entrar nessa questão. Focooooo- quem vê pensa). Enquanto o cabelo não cresce tem que rolar algumas técnicas de texturização para lidar com duas texturas em um único cabelo. Enfim, olha a fundamentação teórica aí genteeeeeeeee(difícil me livrar desse lado acadêmico e a noia de fundamentar, mas segue o jogo). Vamos voltar ao assunto do post? Focoooo. Mas, por que o cabelo da Juliana Paes fez tanto sucesso? 

Ela está com os cabelos naturais por causa das gravações do filme Dona Flor e Seus Dois Maridos. Talvez uma feliz coincidência? Nunca saberemos. Em época que as meninas estão de toda forma tentando se aceitar e firmar causas de empoderamento feminino. Sim, o cabelo é só um complemento. Mas, faz parte disso. A ideia, segundo a própria Juliana, é se sentir bonita e confortável com a sua escolha(Vamos combinar que ninguém quer ser escrava de escova e manter o cabelo mais natural possível é libertador. Aliás não somos obrigadas a nada.). Isso só resume porque essa mudança que em outros tempos poderia ser super criticada ganhou forças e muitos elogios. Porque no fundo no fundo é isso que a gente quer ser feliz do jeito que a gente escolhe ser. Um dia super montada, um dia super natural, quem decide é a gente mesmo. Nossas escolhas são só nossas. Vocês não acham?