categorias: Moda

A eterna busca pela roupa confortável no trabalho.

Eu não sei você, mas eu estou ainda na obsessão e na eterna busca pela roupa confortável de trabalho. Meu trabalho é super(até demais) flexível nas roupas e tals(dou aula na faculdade de artes), mas sempre gosto de ir mais ou menos arrumadinha, principalmente se tem alguma reunião ou vou dar aula na pós graduação. A busca pelo conforto para mim tem alguns motivos: eu viajo para São Paulo para dar aula e não suposto a ideia de me sentir desconfortável; vou passar o dia todo lá e quero uma roupa que eu me sinta bem; muitas vezes eu me sento no chão(coisas de artistas, né amore?). E toda semana é aquela lamuria desafiante: qual o look mais confortável e legal  eu consigo montar?? Aí que para facilitar minha vida, montei as minhas regras, que vou compartilhar nesse post…

Menos poliéster por favor- Poliéster em excesso é uó, digo em excesso porque quase toda roupa tem, mas o que não dá é muito. Primeiro porque dá calor e como consequência, seu cheirinho cheiroso pode não durar o dia todo com esse plástico em contato com seu corpo. Além de tudo não são confortáveis no toque da pele(sim tenho essa frescura).

Calça que  não agarra na coxa- Quer coisa que me irrita é calça que agarra na coxa. Sim, tenho coxas avantajadas e odeioooo a sensação de que tem algo prendendo minhas pernas. Se de pé tá justo, imagina a hora que senta(no chão). 

O sutiã que não aperta- Toda oportunidade da vida que eu tiver eu vou estar sem sutiã, não gosto, acho que sempre vai apertar. Mas, nem sempre isso é possível, então sim, eu escolho a roupa primeiro pelo sutiã, mais confortável do  mundo( se isso é possível).

A terceira peça como opção- Como dizia minha vó, não saia de casa sem casaquinho. Quase sempre levo o casaco para passear(morro de calor e o casaco fica na mão o tempo todo), mas vai que eu entre em um ar condicionado insuportável de frio…Precauções, né amores??

Obs: Deixei o sapato de fora desse post porque acho que ele merece um post especial.

E vocês tem essa noia do conforto?

categorias: Famosos Moda

Blake Lively em um look para gente amar…

Sim, nem todo mundo nasceu Blake Lively, né amores? Sim, aquela linda que poderia sair na rua amarrada em um lençol que ainda assim continuaria incrível. Só que a bicha é daquelas ruins porque além de escolher os looks impecavelmente,  “pracabá” nós deixa lições algumas lições  de moda com seus looks. Vamos a elas nesse look lindo que ela usou em um dia de fashion week(sim, a atrasilda só viu agora).

Galeria de imagens

1- Como fazer um mix de estampas caprichado- Vamos escolher no minimo três estampas para um mix?? Valendooooo…Como fazer sem errar?? A Blake seguiu a regra número um do mix, escolha uma cor de base e se joga. No look tem pied-de-poule, tem bolinhas(ou brilhinhos)  e essa estampa romboide (fui buscar lá na aula de geometria da 5a série, nas minha época chamava assim) que deixou o look meio Cruela(acho Cruela Devil chiquérrima, só para esclarecer)

2- Como usar black and white sem parecer monótono- A ideia de colocar várias estampas causa essa interesssância. O sapato branco suavizou todo o look predominantemente preto

3- Como equilibrar as proporções- Olha que legal, a gente sabe que o comprimento dessa saia e demasiadamente ingrato, mas ficou bem proporcional quando usado com uma cropped.  A sobreposição dos casacos também é bem interessante, o de baixo mais curto que o de cima deu um super equilíbrio no look.

4- Como nascer linda- Brinksssssssssss essa dica, só por  e com Deussss, amores.

E, ai o que acharam?

categorias: Moda

A riqueza da moda e os grupos mais poderosos do momento.

LVMH Young Fashion Designers Prize

LVMH Young Fashion Designers Prize

Este post é tipo para olhar com os olhos e lamber com a testa, mas também pra gente entender um pouco como funciona o mundo da moda nas high high high brands (sim muitooooooo ricas). O tempo todo falo de marcas aqui e de vez em quando acho legal entender de onde vem as coisas e como essas marcas se organizam. A maioria das grandes marcas estão em conglomerados da moda, grandes grupos que reúnem essas marcas sobre um presidente, uma direção de negócios e estrategias de ação. Os maiores são: Kering(ex PPR, presidente é o marido de Salma Hayek), Richemont,  LVMH,  tem ainda o grupo Prada(bem menor) e as marcas independentes(veja o infográfico abaixo que não tá tão atualizado, mas dá para ter uma ideia. Desde então essa cartela  de marcas só cresceu e algumas independentes como a Ralph Lauren foram compradas pelos grupos).

luxury_brands_igl_3

fonte: infographiclabs

Bom, são todos diferentes e ao mesmo tempo muito semelhantes, sempre em busca de excelência, para atender um público super exigente(confesso que sou parte desse público exigente, só não tenho grana para bancar os luxos #contradiçoes).

A nova cara da Gucci- compromisso com novos talentos.

A nova cara da Gucci- compromisso com novos talentos.

A Kering que aglomera as marcas Gucci, Bottega Veneta, Saint Laurent, Alexander McQueen, BalenciagaStella McCartney, busca incentivar a imaginação, dar oportunidades a novos talentos. Além disso, apoiam  causas feministas e tem uma programa de conservação dos ofícios tradicionais, por meio de treinamentos. 

Rihanna vai lançar sua linha de make pela LVMH

A enorme LVMH tem mais de 70 marcas com a missão de manter alta qualidade em 5 setores, entre as quais bebidas com Dom Perigon, Moët & Chandon, Veuve Clicquot.  Moda com as marcas Louis Vuitton, Fendi, Celine, Dior, Emilio Pucci, Givenchy, Kenzo, Donna Karan, Marc Jacobs. Na linha de cosméticos Guerlain, Acqua di Parma, Parfums Dior, Givenchy Parfums, Benefit Cosmetics, Make Up For Ever, e no mercado de jóias as mais famosas são Tag Heuer e Bvlgari. 

Chloé-uma das minhas marcas favoritas

Chloé-uma das minhas marcas favoritas

Algumas das criações de luxo de maior prestígio no mundo são fabricados nas maisons do grupo Richemont super privilegiam o design e a manufatura. Entre as quais, Cartier, Van Cleef & Arpels, Mont Blanc, Alaïa.

No Brasil esse modelo de negocio já tem seus adeptos com a In Brands, AMC Têxtil e outros…O que eu acho interessante em todos estes grupos é que eles dizem para acreditar em desafios intelectuais, o equilíbrio entre a vida profissional e a vida privada, desenvolvimento pessoal e diversidade de oportunidades. O discurso é que para eles cada pessoa tem uma vocação , e que a obrigação dos grupos é ajudar cada pessoa a explorar o que lhe permite progredir, adquirir novos conhecimentos e contribuir para o sucesso do grupo .Pode ser apenas um discurso, mas creio que existe um quê de verdade, porque, apesar das dificuldades da moda mundial ultimamente, o faturamento dessas empresas não para de subir. Algum motivo deve ter, você não acha?