categorias: Beleza

Dramas de um cabelo: quando nada fica bom…

Sim, é um post da série white girls problems. Lá tô eu de volta com meus dramas de cabelo. Mas, sabe quando você não aguenta mais tratar, gastar rios de dinheiro em produtos(às vezes compro os produtos errados, veja aqui ó) e nada fica bom? Então…Simplesmente não tenho paciência para lidar com essas fases de transição (minhas pontas ficaram com cara de espiga de milho, o cabelo anda bem poroso depois de ficar meio loira). Sim, esse drama sempre volta depois que eu faço descoloração e leva uma vida para o cabelo recuperar. Enquanto não recupera eu sofro…Mas, ando fazendo umas coisinhas para amenizar a sofrência…

Ainda não abandonei a ideia do óleo de coco no cabelo, passo nas pontas antes de lavar e deixo uma hora.  Depois do cabelo seco (às vezes seco com o secador, principalmente se lavo à noite, se não deixo secar ao natural) eu uso o Rd Protein nas pontas, ele sela bem e diminui aquele aspecto palha. E para quê a chapinha Carolina se ela só estraga o cabelo?!?! Pois, então…eu gosto do cabelo enrolado nas pontas, ele enroladinho disfarça a espiga(Foca na foto lá em cima e o nível de espigamento, o meu tá assim nas pontas da frente do cabelo) e como não sei enrolar com babyliss eu enrolo com a mini chapinha que acho bemmm mais prático. Passo um protetor térmico para não estragar mais ainda…

Bom, esse foi mais um capitulo da série, meus cabelos, meu drama. E vocês o que usam no cabelo quando nada fica bom? 

categorias: Beleza

Morena iluminada: expectativas e realidades.

Um dia antes de clarear meu cabelo sempre me encho de expectativas. E vocês já sabem, quando pinta assunto cabelo aqui nesse blog tô a fim de mudar e ou estou insatisfeita com o que tá tendo aqui no meu picumã.  Ixiiiiiii,  dá medo quando começo com posts assim. Sim, as últimas mil vezes que falei desse assunto cabelo e eu não tava satisfeita , fui lá mudei e deu ruim. Oremos que essa vez vai dar bom. Minha meta para 2017 é mudar com parcimônia. Prometo: chega de inventar modas estrambólicas, tipo descolorir demais ou cortar demais, porque já vi que meu cabelo não aguenta então, não vai nunca mais descer para o play.

Tá só para vocês verem que tô de boa. A ideia agora é ser uma morena iluminada. Mas, vamos as expectativas X realidades, não necessariamente nessa ordem. 

Expectativas:

1-Vou fazer hidratação toda semana- Toda vez que me programo para descolorir o cabelo já renovo o arsenal de cremes e máscaras. E adivinha?!? Fica tudo lá na prateleira, a espera de um milagre. A verdade é que só mexo a bunda quando meu cabelinho tá uma palha. Ai bate o desespero e eu taco todos os cremes juntos. Sei que não adianta e o correto é hidratar o cabelo ao máximo antes e ir hidratando e fazendo cronogramas certinhos após descolorir. Mas, cadê foco e paciência?!?

2-Meu cabelo vai ficar igual ao da fulana- Não Carolina, não vai ficar. Cada cabelo é um cabelo e até mesmo meu cabelo pode não ficar igual na próxima vez que repetir o mesmo procedimento. Sabe aquela história que a gente nunca se banha no mesmo rio duas vezes, pois é. Ou seja,  se seu cabelo não ficar igual ao seu, imagina igual da fulana. O que podemos ter é um monte de inspirações. Então vamos a elas, que elas são super importantes para que o meu/seu cabeleireiro possa ter uma vaga ideia do que tá querendo.

Realidades:

1-Tenho MUITOOOO cabelo branco- Minha realidade é essa, para cobrir o cabelo branco preciso de uma base boa (evito de fazer a pré pigmentação, explicação abaixo), para não ficar aquela sombra que parece que havia uns brancos por ali. Então, nessa de usar bases escuras, meu cabelo foi ficando preto, sem nuances de cor. Sabe aquele aspecto de cor chapada? Então…por isso vamos para o próximo passo descolorir.

2-Meu cabelo não aguenta descolorir- Por esse motivo evito a pré pigmentação, mas uma química nesse cabelinho fraco. Quem olha meu cabelo de prima, acha que ele é super resistente #sqn. Ele é grosso e passa essa mensagem errada. E por mais que eu conte a um cabeleireiro que não tá acostumado comigo, eles não creem, até ver o estrago que uma descoloração pode causar. Por isso, acho legal fazer sempre com o mesmo profissional, aquele que conhece meus/seus fios. Diante dessa pendenga e querendo nuances de iluminação no meu cabelo, meu cabeleireiro deixa os papéis bem pouquinho e faz o processo em várias etapas. Faz um mês, recupera e depois faz de novo em outra parte do cabelo. E assim vai…

Mas, qual a utilidade desse post mesmo? Talvez nenhuma.Talvez só para compartilhar minhas expectativas e talvez ajudar azamigas(vocês no caso) a perceber e conhecer um pouco do seu cabelo antes de embarcar em qualquer aventura. Se der bom mostro amanhã no snapchat, se der ruim também porque né? A vida não é só feita de maravilhosidades.

E qual a experiência de vocês com descolorir?

categorias: Beleza

Um jeito diferente de prender o velho e bom coque.

Atualizados recentemente

Sempre fico de olho nas modinhas que rolam no Instagram e entre as celebridades. Já faz um mês, mais ou menos que tenho notado que os coques tem sido valorizados. Uma nova maneira de fazer as mesmas coisas que geram resultados surpreendentes. A moda agora é fazer uma graça na parte de trás do cabelo para que na hora que sobe o coque apareça algo diferente. A atriz Shay Mitchell(foca no cabelo e esquece a make mara) usou essa semana no Red carpet do Teen Choice uma trança que parece ser espinha de peixe enfeitada com argolas.

Olha que fofoooo. Esses dias publiquei no Instagram do blog (segue lá) esse penteado com várias tranças na parte de trás do cabelo. O espírito louca das tranças me atacou e tentei fazer em casa com duas tranças simples e soltas, o resultado ficou bem legal. Sim, gente não tenho habilidade para uma trança embutida. Mas, na real fiquei com preguiça de tentar, porque essas tranças estão bem despretensiosas(leia-se com um pouco de treino acho quem sabe)

Tem para todos os gostos e habilidades. Esse é nível alto( lembrando que não sei fazer trança) , mas quem tem mão boa consegue fazer essas tranças rapidinho.

Tá vendo como dá…para inovar no penteado. Que tal tentar em casa?