categorias: Viagens

Meu Dia de Carrie Bradshaw- Parte 2

Tinha resolvido que eu não ia falar mais de celebrities aqui no blog, but Carrie Bradshaw não é celebridade é personagem, então pode. a gente inventa desculpa pra tudo.
O fato é que a tenho meus dias de loucura e esse foi um, o primeiro vocês podem ver aqui.
Tudo começou com o look para viver um dia de Bradshaw em NY tinha que ter a sainha de tule, e a regatinha. Tudo adaptado lógico.

Aí, começa as atrapalhadas que são minhas..
Vocês estão vendo que tô arrancando os sapatos na foto, e com cara de UFFAA, né? Não é a toa.
Aí começa meu dia..de Carrie.
Imagina um calor, não você não esta imaginado direito, aquele de 40C e que sai fumaça do asfalto, pois é, esse é o cenário de NY, neste momento.
Quando resolvemos ir até a Magnolia Bakery, point da Carrie, na Bleecker St. esquina com 11th st. (West Village) tínhamos apenas duas horas pra ir e voltar pro hotel na Times Square (Íamos nos apresentar a noite) detalhe era meio dia..opção ERRADA.
Bom, no calor infernal, descemos no Soho, ERRADO, naquele climinha de vamos conhecer o bairro..OK.



Começamos a procurar a tal rua Bleecker St. ninguém conhecia, até que perguntamos para uma garota com cara de descolada ,que nos disse que teríamos que andar 30 minutos.
Fiz as contas 30 minutos andando, 30 comendo, e uma hora voltando pro hotel, dá tempo.ERRADO
Pensei em pegar um táxi, mas queria conhecer o Soho e o Noho.



Andamos, kms e o raio da Magnolia Bakery nunca chegava, e meu pé começou a inchar retenho liquido e, começou a não caber no sapato, ou seja bolhas começaram a se formar. Lembra que eu ia dançar a noite, vocês não imaginam o que são bolhas na vida de uma bailarina?

Chegamos depois de 40 minutos e já até tava sentindo cheiro de cupcakes. Pura imaginação.
As portas abertas, mas em manutenção…Ou seja, andei tudo aquilo, e não consegui comer o CUPCAKE

Não acreditei, quase chorei. Tirei fotos pra não perder a viagem e passei na loja do MJ, pra não perder o costume. Mas, tudo muito rápido, para não perder a hora, nem fotos da casa da Carrie tirei.

Não conseguia dar mas nenhum passo, a pé..Juro, queria andar plantando bananeira..
Calma, não acabou…Cheguei no Hotel, pensei:
Vou levar aquela bronca de ter andado, no sol no dia de dançar.Imagina então, se minha coreógrafa (a amada Karen) ver meu pé com duas bolhas gigantes de sangue nos meus dedos.
Enfiei meu pé no gelo, para pelo menos eles desincharem e entrarem na sapatilha.
Ignorei a dor das bolhas e fui dançar..

A saga continua..


Bom, no dia seguinte tinha uma amiga que queria comprar cookie no Mrs Fields, fui ajudá-la.
Outra aventura, mas quando eu saio de lá . ADIVINHA…dou de cara com uma Magnolia Bakery perto do Rockefeller Center, a duas quadras do meu hotel.
Finalmente comi o tal CUPCAKE, comi o bolinho chamado Carrie, em homenagem a dita…

E pra ser sincera dei duas mordidas e deixei, não gostei…Ovo, puro.
Tanto barulho por nada..
Isso, só pra dizer que dia de estrela de cinema não é tão glamouroso assim hahhaha



O video de 20 segundos da Carrie comendo os bolinhos na Magnolia Bakery da Bleecker St.
Carrie Bradswan

categorias: Viagens

Paris Je T´aime

Mes Chèris

Esses dias bateu uma saudade de um dos lugares que mais amo no mundo PARIS, meio clichê, pode até ser..mas, vou tentar elencar 10 motivos que me fazem amar esse lugar..e vocês me dizem se concordam, ou  se é tudo clichê mesmo, whetever..

1- Só em Paris você passeia de Bateaux, tomando champanhe no Rio Sena, vendo as pontes mais lindas do mundo..

2- Lá se anda de Velib, neste post aqui eu expliquei sobre esse serviço maravilhoso e organizadíssimo de bike de Paris.

3-Só em Paris as pessoas carregam charmosamente baguettes, embaixo do braço.

4- Em Paris os adultos andam de carrosel…

5-  Só lá se pode comer macarron e pan au chocolat em qualquer esquina.

6- De repente chove torrencialmente em Paris, e como é bom ficar molhado em Paris…

7- Paris é vintage, cada lugarzinho, cada brechó, cada lojinha, cada espaço, as construções levam a gente ao passado.

8- Flanar ou Flâneur – não existe melhor coisa pra fazer ou não fazer rsrs em Paris..

9- Paris é a cidade do amor.

10- E, sem esquecer que Paris é a verdadeira cidade da moda. Pronto falei.

Tem muito mais que dez motivos, depois que escrevi é que fui perceber. Mas, o post ia ficar enorme…o importante é vocês saberem Paris Je T`aime.

Imagens: http://weheartit.com/
categorias: Viagens

Precisa ter motivo??

Às vezes, quero dar uma incrementada no look e a primeira coisa que vem a cabeça são acessórios…

Não é um trocadilho é esse é mais um post sobre chapéus…de outros que a gente fez neste e neste link.
Que a Inglaterra é terra do chapéu o mundo inteiro sabe disso, vê aqui .
O dia que fui passear por Buckigham estava acontecendo uma recepção no Palácio.
E eu com minha câmera em punho registrei os chapéus das inglesas para futuros posts. Assuntos intermináveis das viagens recentes de Carol
E, só pra constar em Londres você não está arrumado se não está de chapéu, ainda mais em recepções no Palácio.

Os modelos variam bastante mas são basicamente casquetes e bretons. As casquetes são pequenas bases, sem abas, enfeitadas com penas, plumas(aigrette) ou uma redinha, que cobre o rosto. E não tem idade pra usar, pode ser usado por moças ou mais velhas..

Os materiais não variam muito, os chapéus são feitos de crinol (tipo de palha), mas sempre enfeitados com penas e canutilhos essa palavra ainda existe?
As formas dos chapéus varia bastante conforme a idade e gostos.
Já, os modelitos acima são chamados de Breton Franceses ou meio Breton(o que determinada é o tamanho da aba). Super usados pela rainha..God save the Queen, adoro essa frase..fico pensando o dia que for King não vai combinar.
Os bretons ainda, podem ser chamados de Breton francês, de copa reta parte de cima do chapéu e Breton inglês, de copa redonda…
Na próxima festa chamem o verdadeiro chapeleiro da Maluco, Stephen Jones, das celebridades e gastem o vocabulário…

Tem moças que também OI gostam de sair dos tradicionais e inovar no designer…

Adoro essa mania dos ingleses, e o legal e que nem sempre o chapéu precisa “combinar” com a roupa. Usar chapéu é so funny, escolhê-los e experimentá-los mais ainda… Vamos aderir??? Na próxima festa dia ou tarde todo mundo de chapéu, no mínimo ia ser chic e divertido… Vale a pena tentar.. Fonte: Hats an Antologhy, Stephen Jones ,V & A publications